Você está lendo:

Os três estágios do PageSpeed na análise de performance

Sobre:
Os três estágios do PageSpeed na análise de performance

A ferramenta do Google que analisa e pontua a performance das suas páginas tem estágios e você precisa avançar para melhores resultados.

Leandro Vieira
Estágio do PageSpeed mostrado através das mãos de um homem que usa terno, mexendo em um smartphone

O PageSpeed é uma ferramenta do Google utilizada para analisar a performance de páginas web. Este recurso tem diferentes estágios para classificar as páginas de acordo com suas regras.

Para cada fase em que você se encontra, há diferentes procedimentos e ações a serem tomadas. É importante (e necessário), conhecer todas para conseguir avançar.

Os benefícios de um site performático são muito poderosos e beneficiam os usuários e toda sua estratégia digital.

Os três estágio do PageSpeed

Os estágios do PageSpeed

As páginas analisadas através do PageSpeed ganha uma pontuação de 0 à 100.

Quanto mais próximo de 100, mais performática é considerada a página.

Os estágios do PageSpeed são definidos de acordo com as seguintes faixas de pontuação:

  1. Primeiro estágio: de o até 55 pontos;
  2. Segundo estágio: de 56 até 65 pontos e o
  3. Terceiro estágio: de 66 pontos até 85 pontos.

As etapas, além da pontuação, são coloridas, respectivamente, com as seguintes cores: vermelha, amarela e verde.

Mais recentemente elas também ganharam nomes, respectivamente: pobre, precisa trabalhar e bom.

O significado de cada fase

Como dito, para cada estágio do PageSpeed precisamos aplicar diferentes esforços para avançarmos para a etapa seguinte.

A ferramenta exibe o problema e, ao mesmo, sugere as correções a serem feitas.

Estágio “Pobre”

Quando a performance está pobre, leia-se vermelha ou com até 55 pontos, significa que a questão “performance” não foi levada em consideração.

A experiência do usuário não está boa. O site está sendo penalizado no índice do Google e no alcance no Facebook.

Há problemas básicos e certamente alguns vilões estão te impedindo de avançar. Como exemplo, podemos citar:

  • Imagens não otimizadas;
  • Alto tempo de resposta do servidor;
  • Muitas inclusões de arquivos CSS e JavaScript;
  • Não fazer uso do cachê do navegador, entre outras.

Estágio “Precisa trabalhar”

Quando os problemas básicos são corrigidos é preciso avançar para as questões intermediárias.

Nesse estágio do PageSpeed, as questões estruturais estão impactando no projeto.

Dois exemplos clássicos desse cenário são os seguintes:

  1. Não priorizar o carregamento do conteúdo visível e
  2. Carregar arquivos JavaScript que bloqueiam a renderização.

Quem utiliza temas prontos para desenvolverem seus sites é comumente impacto com essas questões.

Estágio “Bom”

A partir de 85 pontos temos um site considerado como performático.

Chegar, se manter, ou ultrapassar essa pontuação não é simples e é preciso ter diferentes áreas em sinergia.

Os pilares da performance são três e eles devem estar bem alinhados.

  1. Servidor / Infraestrutura;
  2. Tecnologia / Desenvolvimento;
  3. Conteúdo / Integração.

Sem esse alinhamento alcançar o selo verde do PageSpeed é praticamente impossível.

As vantagens e necessidades da performance

Ter um site performático é, acima de tudo, ter o foco no usuário. Quando mais rápido as páginas são carregadas, melhor serão nossos resultados.

Há dois grandes e importantes geradores de tráfego, Google e Facebook, que analisam e consideram seriamente essa questão.

O Google julga a performance como um fator de rankeamento. Sabe-se que é preciso estar na primeira página para obter melhores resultados.

Além dessa localização é preciso estar entre os primeiros resultados. Quanto mais alto estivermos, mais cliques e, por conseguinte, visitas e resultados teremos.

Sites móveis com performance ruins começaram a ser penalizados pelo Facebook.

Ter eficiência no alcance orgânico é muito difícil, mas é compreensível pelo modelo de negócio da rede social baseada em anúncios e impulsionamentos.

Precisamos nos atentar, também, a explosão mobile no Brasil e a questionável qualidade das conexões.

Conclusão

Você precisa considerar a melhoria contínua da performance das suas páginas.

Procure avançar etapa por etapa. Um passo de cada vez. Quando alcançar o estágio do PageSpeed “Bom”, com pontuação a partir de 85 pontos e o selo verde, procure se manter.

Uma melhor performance nos garantirá maiores conversões.

Contudo, mais conversões em nossas páginas, sejam elas micro ou macro, vão gerar mais oportunidades de negócios.

Se você gostou desse artigo sobre WordPress Performance, provavelmente vai gostar de: Mais posts como este