Varnish

Varnish – o que você precisa saber sobre a solução de cache mais poderosa para WordPress

O Varnish é a solução ideal para cache, proxy HTTP reverso ou acelerador de aplicações web em WordPress. Os ganhos são da casa de 300 a 1000 vezes.

Seus amigos merecem saber desse conteúdo?

Sites em WordPress de grande audiência são arquitetados com o Varnish devido sua poderosa atuação como um acelerador de aplicações web.

Varnish também é conhecido como um proxy HTTP reverso.

A implementação desse software é realizada na frente do servidor web e ambos são configurados para realizarem as tratativas das requisições HTTP.

Em alguns cenários os ganhos de entrega de requisições podem ser de 300 a 1000 vezes. Sim, incrível.

Esses ganhos nos permitem afirmar que sites em WordPress com Varnish são muito, mas muito rápidos mesmo.

Assista o vídeo abaixo para um entendimento mais completo sobre a solução:

Como funciona o Varnish

Uma vez que já sabemos do que se trata o Varnish, vamos compreender ainda mais seu funcionamento.

Quando um usuário acessa uma página do seu site em WordPress, acontece, basicamente, os seguintes passos:

  • Através do navegador de internet, o usuário acessa o endereço HTTP de uma página;
  • O navegador envia a requisição para o servidor onde a página está hospedada;
  • Após a resposta do servidor web, chegou a vez do WordPress responder a requisição;
  • Todo os objetos que compõe uma página WordPress serão executados, leia-se:
    • Requisições ao banco de dados;
    • Requisições diversas no server-side;
    • Processamentos dos hooks (actions e filters).
  • A página é retorna ao navegador e
  • O navegador exibe a página ao usuário que a requisitou.

Esses processos acontecem em fração de segundos. O tempo mudará com base na arquitetura da programação e servidores.

O Varnish funciona como uma camada intermediária ao browser do usuário e servidores.

Quando a página é acessada pela primeira vez, por qualquer usuário, o Varnish a armazena em memória RAM e, em seguida, realiza a entrega ao usuário.

A partir do segundo acesso, o Varnish evita a requisição ao servidor, logo, faz todas as requisições necessárias e realiza a entrega rápida aos usuários que a solicitaram.

Através de uma atualização de Página/Post no WordPress, ele envia um comando ao Varnish para apagar a versão cacheada da página.

Com essa exclusão, a rotina é executa de novo e, novamente, após nova atualização ou com o término do período de vida determinado para o cache da página.

Quando você deve evitar o Varnish

Como estamos tratando de uma solução de cache e, diga-se de passagem, extremamente poderosa, precisamos ficar atentos aos efeitos colaterais.

Páginas que não são estáticas requerem tratativas especiais ou a anulação do recurso.

Por exemplo, páginas de interações com o usuário que exigem autenticação, ou plataformas de e-commerce com o WooCommerce.

As famosas páginas de “Minh Conta” e postagens com comentários precisam de atenção especial.

Caso contrário o “Minha Conta” mostrará dados da conta do outro e os comentários talvez não apareçam.

Se tratando de WooCommerce as páginas clássicas em que o Varnish não deve ser implementado são:

  • Carrinho de compras;
  • Conclusão do processo de compras (o checkout) e
  • Minha conta.

Dependendo da estrutura do site, outras páginas precisam entrar nessa lista.

Evitar o Varnish é necessário porque o conteúdo dessas páginas são dinâmicos e variáveis por cada usuário logado.

Os reais ganhos com a implementação do Varnish

Se você tem um site de baixa audiência, desconsidere esse investimento a curto prazo.

Para sites com média e grande audiência implementar a solução trará ganhos significativos.

Os ganhos serão econômicos de forma direta e indireta.

Os ganhos diretos

Você terá ganhos diretos porque economizará com servidores.

O Varnish lhe permitirá reduzir as requisições aos servidores, logo, a quantidade de máquinas também. Com menos máquinas, obviamente, você terá um custo menor com a hospedagem para WordPress.

O modelo de cobrança de soluções de cloud computing são baseadas no tempo em que as máquinas estão ligadas e outras variáveis.

E com menos máquinas, ainda, você terá um menor custo de gestão. Evitando a escalada de profissionais e serviços para o monitoramento e manutenção.

Os ganhos indiretos

Os ganhos indiretos com a implementação do Varnish refletem nos resultados obtidos com um site de melhor performance.

Considerar a melhoria de performance para seu site em WordPress é considerar ganhos diversos em sua estratégia digital.

Os usuários terão uma navegação mais rápida. Assim, a experiência de uso será melhorada.

Os usuários passarão a navegar mais, gerando mais Page Views e gerando, também, uma maior probabilidade de micro e macro conversões.

Com as páginas mais rápidas e menor bounce rate, é possível ganhar mais relevância no Google.

Estando melhor rankeado no Google, você ganha ainda mais acessos.

Mais acessos significa maior exposição de marca, interação com os usuários, probabilidade de conversão e geração de negócios.

Contudo, com a melhora nos resultados de busca, você consegue planejar a redução do investimento em mídia.

Conclusão

Considere implementar uma solução poderosa de cache como o Varnish em seu projeto digital.

Se você ainda não o conhecia, agora teve um ponto de partida e contato com o acelerador de páginas web.

Algumas hospedagens para WordPress oferecem o Varnish em seus planos. Atente-se ao benefício e, principalmente, a configuração ideal para o seu projeto.