SEO técnico e os desenvolvedores WordPress

Sua estratégia precisa considerar e estruturar o SEO técnico do seu projeto WordPress. Quanto você conhece sobre o assunto?

SEO técnico é importante e estar ancorado em um dos pilares da estratégia de SEO. Os desenvolvedores WordPress precisam conhecer as técnicas e a importância do assunto.

Toda sua estratégia e atividades complementares relacionadas ao conteúdo e autoridade precisam estar suportada por uma boa implementação de códigos.

Os pilares da estratégia de SEO

Três peças de xadrez

A relevância do SEO para os negócios digitais requer uma otimização do seu negócio para ficarem preparados a serem indexados pelos motores de busca.

A estratégia de SEO se baseia em três pilares:

  1. Tecnologia;
  2. Conteúdo;
  3. Autoridade.

A Tecnologia é o ponto de partida para a otimização de um site. Em alguns casos conhecida como análises on-page.

Já o conteúdo é a segunda etapa do processo de otimização. Ela deve ser pensada e alinhada ao modelo do seu negócio.

O terceiro pilar é o trabalho de Autoridade do site e das páginas internas. Essa etapa exige conhecimentos avançados do
trabalho de otimização pois em alguns casos os motores de busca podem entender como manipulação do seu algoritmo e pode não gerar os resultados esperados no projeto.

SEO técnico

Há diversos outros pontos que precisam ser considerados no SEO técnico como URLs amigáveis, transparentes e curtas, redirecionamentos adequados com os respectivos códigos e destinos; responsividade das páginas; robots.txt, sitemap, paginação de páginas e várias outros.

Neste artigo, vamos refletir sobre a codificação das páginas, a performance e segurança como fatores determinantes para um bom SEO técnico.

O time de desenvolvimento precisa ser envolvido na estratégia de otimização para os mecanismos de busca. Eles realizam o trabalho de tratar as barreiras tecnológicas que podem impedir e/ou dificultar a ação dos robôs de mecanismos de busca para indexar melhor as páginas do seu site.

Os profissionais dedicados às áreas de front-end e back-end possuem conhecimentos e realizam atividades que impactam diretamente nos códigos utilizados pelo projeto.

Sobre a codificação das páginas

As páginas web quando entregues aos navegadores de internet são um apanhado de marcação HTML que estruturam a informação.

Essa estruturação das informações, e por conseguinte os códigos, precisam seguir padrões e estarem em conformidades com as melhores técnicas para resultar num SEO técnico que potencialize sua estratégia e possibilidade de indexação.

Uma página web é basicamente divida em duas estruturas. A parte do cabeçalho e o corpo. Na primeira temos informações estruturantes que são consumidas por dispositivos e robôs. No corpo informações direcionadas aos usuários, mas que também são consumidas por dispositivos e robôs diversos, logo precisam ser semântica e estarem bem estruturadas.

Cabeçalho da página

A marcação e o conteúdo estruturados na cabeçalho das páginas são englobados pela tag <head>. Nessa seção é importante considerar a prioridade das informações e marcações para auxiliar os dispositivos e robôs.

Profissionais de SEO otimizam constantemente o conteúdo do título e meta descrição. Mas é preciso que essas informações sejam as primeiras a serem englobadas pela tag <head>. Isso é algo que precisa ser considerado pelo SEO técnico.

<html>
<head>
<title>Título da página</title>
<meta name="description" content="Descrição da página">
...

Em seguida à prioridade, temos as demais tags como definição de charset, viewport, canonical, Google Analytics e diversas outras.

Corpo da página

Além da densidade do conteúdo, às vezes temos também uma densidade de marcação. O excesso de códigos deve ser evitado, e assim evitamos também o low text ratio.

Desenvolvedores WordPress com o foco no front-end precisam estruturar uma marcação HTML concisa, limpa e bem estruturadas. Assim será exibido pouco código e eles serão bem utilizados para sua real finalidade: dar sentido semântica a informação.

As Headings tags residem entre as tags <body> e são extremamente importantes e estratégicas. Mas precisam ser bem utilizadas. Sendo apenas uma tag <h1> por página, seguidos das tags <h2> e <h3> para estruturarem os tópicos.

As imagens precisam conter o atributo alt para fornecerem uma alternativa textual quando não puderem ser exibidas, ou para serem consumidas pelos leitores de telas.

Performance

Os sites precisam ser rápidos. As páginas quando carregadas com um tempo inferior a três segundos, tem maior engajamento. No Brasil temos números expressivos sobre o mobile, mas a realidade das conexões à internet deixam a desejar bastante. No trabalho, o desktop é largamente utilizado.

Suas páginas precisam estar com ótima performance, tanto no mobile quando no desktop. O Google PageSpeed Insights é um bom indicativo para você analisar como está sua realidade, além de inúmeras outras ferramentas com essa finalidade.

O resultado da codificação dos profissionais de back-end e front-end vão impactar diretamente no tempo de carregamento. Há vários plugins WordPress que te ajudam nessa missão.

Segurança

Segurança também precisa ser levada em consideração ao falarmos de SEO técnico. Implementar o HTTPS nas páginas, além de ser uma prática de segurança, é critério de relevância para o Google. Mas precisamos ir além.

A codificação bem estruturada, tanto no back-end quanto no front-end, impedirá ataques diversos que injetam códigos maliciosos, backdoors, malwares.

Esses ataques vão prejudicar sua reputação junto aos usuários e os mecanismos de busca, você perderá posições, investimentos, esforços e tempo. Pensar em segurança no SEO técnico vai garantir a execução e manutenção da sua estratégia.

Conclusão

O pilar da tecnologia é comumente considerado na estratégia de SEO. Mas precisamos abrir um espaço maior para o SEO técnico e assim estruturar melhor questões relacionadas a codificação e outros pontos aqui abordados.

Como você tem lidado com as questões técnicas de SEO em seus projetos WordPress?