Você está lendo:

Guia essencial para migrar o WordPress

Sobre:
Guia essencial para migrar o WordPress

Migrar o WordPress para outro servidor é como mudar de casa, você só faz quando precisa de mais espaço, segurança, conforto ou não aguenta mais o senhorio.

Aminy Gusmão
destaque-migrar-o-wordpress

Existem várias formas de migrar o WordPress de servidor, levando em consideração a segurança e eficácia do processo este artigo se propõe mostrar as melhores práticas para realizar essa tarefa comum e ao mesmo tempo complexa. Este é mais um guia para migração do WordPress de um servidor para o outro.

Processo para migrar o WordPress

Devido as facilidades oferecidas pelo CMS mais utilizado em todo o mundo é muito fácil encontrar dicas para migrar o WordPress e até mesmo tutoriais de migração disponíveis em toda a internet. Porém no fim das contas, tudo se resume a criação de um processo eficiente com foco no início, meio e fim da tarefa.

Crie ou siga um checklist

Já que a palavra de ordem é processo, criar um checklist para migrar o WordPress ou seguir um que já tenha sido validado é um ótimo primeiro passo para realização da tarefa. Assim, tudo o que for necessário será feito sem deixar nada para trás.

O que devemos considerar?

Existem diversos motivos para migrar de servidor, desde insatisfação com o serviço a busca por soluções e serviços que possam complementar a aplicação. Portanto, antes de mais nada, a primeira consideração deve ser se o novo servidor atenderá seus interesses e as determinações e necessidades do seu site WordPress.

Domínio e URLs

Há casos em que o padrão de URL muda e em alguns extremos o domínio também.

backup-migrar-o-wordpressBackup, backup, sempre backup

No servidor atual considere sempre a segurança, na programação o Backup é mais que segurança, é o salva-vidas, o messias dos arquivos. Recomendável o serviço de host que ofereça Backup full:

  • Backup da base de dados em uso;
  • Backup de todos os arquivos do site (core do WordPress, plugins, temas, uploads);
  • Backup do arquivo .htaccess, em caso de uso do Apache;
  • Arquivo robots.txt, em caso de uso de arquivo físico;
  • Cópia, ou análise de transição, das contas de e-mail;
  • Tomar nota dos subdomínios em uso;
  • Tomar nota de todas as entradas personalizadas de DNS.
  • Além de copiar os arquivos na estrutura atual, tome nota de informações importantes que poderão ser consultadas para a transferência e verificação de que tudo foi migrado como deveria.

Hora de migrar o WordPress para outro servidor

De uma forma muito simplificada o processo se resume em: organizar e exportar os arquivos contidos no servidor atual e importar na nova estrutura de host. Vamos conhecer os detalhes, as etapas e considerações importantes sobre cada passo. Para isso você não precisa reinventar a roda, já existem plugins que auxiliam na migração e até serviços especializados para migrar.

export-import-migrar-o-wordpressConsiderações ao exportar a base de dados do WordPress para migração

Migração de banco de dados – Como em qualquer mudança, se livrar do que não tem mais uso é primordial, exclua plugins e tabelas que não tem mais uso. Por falar em plugins, atenção! Alguns hosts não permitem certo plugins e possuem uma lista de plugins não autorizados. Quando aplicam essa política, há sugestão de outro plugin similar.

Atenção ao migrar o arquivo .htaccess – o WordPress faz uso de diretivas no arquivo .htaccess para ativar o recurso de links permanentes e garantir o uso das URLs amigáveis, não deixe para trás.

Migração de e-mails – Caso você utilizar o Google Apps for Workconsidere a criação das entradas MX equivalentes e DNS para os demais serviços da aplicação. Caso use sua própria hospedagem, considere mapear todos os e-mails em uso, recriar todos eles na nova estrutura e alinhar os novos endereços de acesso ao webmail, entradas POP3/iMAP e SMTP, bem como o padrão de autenticação.

Subdomínios – Embora uma instalação WordPress padrão não faça uso de subdomínios, pode acontecer do seu negócio fazer uso deles. Você precisará recriar esses subdomínios e analisar o conteúdo de cada um para analisar o que precisará ser migrado.

Pré-visualização – Alguns servidores permitem uma pré-visualização do site publicado. Esse recurso pode ser interessante para você se certificar que tudo o ocorreu como esperado, que o site está navegável e a migração será um sucesso e sem sustos. Bastará apenas uma revisão e acompanhamento.

Considerações pós-migração

Migração de site é sempre uma atividade que acaba reservando surpresas e desafios. Problemas podem ocorrer depois da migração, fique atento, ter um planejamento bem feito e um time a disposição é o básico para evitar falhas, além de um plano, e pessoas, para entrarem em ação nas ocorrências derivadas.

Conclusão

Migrar o WordPress ou qualquer outro site é como mudar de casa, fazemos essa opção por vários motivos, por mais espaço, por maior segurança, em busca de mais conforto (ou menos dor de cabeça). No final, qualquer pessoa pode migrar seu site ou fazer sua própria mudança, da mesma forma que pode pagar para alguém fazer isso por ela.

Se você gostou desse artigo sobre Segurança para WordPress, provavelmente vai gostar de:
Mais posts como este