IPv6

A adoção ao IPv6 será ainda mais acelerada com o esgotamento dos endereços IP atuais. Você precisa conhecer melhor essa nova versão

Logo do IPv6

Se uma imagem vale mais que mil palavras, imagine um vídeo que detalha como nenhum outro o que é o IPv6, seus benefícios e por que devemos considera-lo o quanto antes.

O vídeo é do NIC.br, o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR.

O protocolo IP é muito importante como vários outros protocolos responsáveis pela comunicação na internet.

As versões relevantes do protocolo IP são a IPv4 e a IPv6. A quarta versão foi oficializada há mais de 30 anos atrás e sua composição de 32 bits permite uma combinação de mais de quatro bilhões de endereços únicos.

Mas essa quantidade disponível está numa iminência de esgotamento e somente o novo formato proposto será possível atender a latente demanda atual e futura.

IPv6

Com o advento e popularização da internet a quantidade disponível de endereços ficou pequena e a proposta do IPv6, de 1998, ganha cada vez mais força em função do esgotamento de endereços IPv4

As principais diferenças entre o IPv4 e IPv6

IPV4

IPV6

Endereço de 32 bits Endereço de 128 bits
Suporte opcional de IPSec Suporte obrigatório de IPSec
Nenhuma referência a capacidade de QoS (Quality of Service) Introduz capacidades de QoS utilizando para isso o campo Flow Label
Processo de fragmentação realizada pelo router A fragmentação deixa de ser realizada pelos routers e passa a ser processada pelos hosts emissores
O cabeçalho inclui os campos de opção Todos os campos de opção foram mudados para dentro do campo extension header
O Address Resolution Protocol (ARP), utiliza requisitos do tipo Broadcast O ARP foi abandonado, sendo substituídos pelas mensagens Neibhbor Discovery
Internet Resolution Management Protocol (IGMP) é utilizado para gerir relações locais de sub-redes O IGMP fio substituído por mensagens Multcast Listner Discovery
Os Endereços de Broadcast são utilizados para enviar tráfego para todos os host de uma rede Deixa de existir o endereço de Broadcast, para utilizar endereços multicast
O endereço tem de ser configurado manualmente Adição de funcionalidades de auto configuração
Suporta pacotes de 576 bytes, passíveis de serem fragmentados Suporta pacotes de 1.280 bytes, sem fragmentação

Fonte: http://www.techsutram.com/2009/03/differences-ipv4-vs-ipv6.html

Sobre o formato do endereço

Os formatos de endereços IP nas versões 4 e 6 são significativamente distintas e isso exige uma adaptação de toda indústria para suporta-lo por completo. Um exemplo simples para nós desenvolvedores de software está na validação e modelagem de banco de dados para armazena-lo.

Sua composição será de 128 bits que resultará em incríveis 340.282.366.920.938.000.000.000.000.000.000.000.000 endereços únicos de IP ao contrário do pouco mais de quatro bilhões de endereços.

Os endereços na quarta versão são representados por quatro blocos de 8 bits, totalizando 32 bits. Eles são representados através de números de 0 a 255, como “189.26.216.84′.

Já o formato de endereço em IPv6 terá uma sequência de caracteres hexadecimal separados por “:” (dois pontos). Vamos tomar o endereço como exemplo para entendimento do seu formato e possibilidades.

0201:0DB8:0000:25E2:0000:0000:F0CA:84C1

O endereço quando composto de números zero à esquerda de uma sequência pode ser ocultado. No exemplo anterior a primeira sequência poderia ser “201” ao contrário de “0201”.

Grupos de quatro algarismos zero podem ser representados por um único algarismo. Considerando o nosso exemplo poderíamos ter:

201:0DB8:0:25E2:0:0:F0CA:84C1

ao contrário de

0201:0DB8:0000:25E2:0000:0000:F0CA:84C1

Uma sequência longa de zeros também poder ser substituídas. E nesse caso seria por “::”. Em nosso exemplo teríamos a seguinte composição.

201:0DB8:0:25E2::F0CA:84C1

Como um endereço em formato IPv6 será longo, essas substituições nos permitirá termos uma sequência menor. E como no início teremos vários casos com inúmeros zero, essas substituições serão de grande valia.

Tipos de endereço

No IPv6 há três tipos de endereço: Unicast, Multicast e Anycast. Isso permite uma distribuição otimizada de endereços para um acesso mais rápido em algumas situações.

Unicast

Indicado para redes ponto-a-ponto. O tipo Unicast identifica uma única interface para que os pacotes sejam enviados somente a essa interface.

Multicast

Indicado para comunicações de um-para-muitos. Esse tipo identifica um conjunto de interfaces e os pacotes de dados são entregues às todas interfaces associadas ao tipo de endereço Multicast.

Anycast

Também indicado para comunicações de um-para-muitos, apropriado para servidores de DNS. Endereços Anycast são semelhantes ao Multicast, a diferença é que o pacote de dados é entregue a interface mais próxima.

Segurança reforçada

Segurança é um item relevante que será consideravelmente melhorado com a adoção do IPv6.

A nova versão do protocolo manteve o IPSec (IP Security Protocol) que é uma extensão do protocolo IP voltado para segurança. No entanto, nesta versão temos os dados do pacote criptografados garantindo maior confidencialidade, autenticidade e integridade das informações trafegadas.

Além disso com uma grande capacidade de endereços únicos será possível uma associação mais específica do endereço IP em uso, ao contrário do método atual que compartilha o mesmo endereço em várias situações.

Estatísticas de uso do IPv6

As duas imagens abaixo retratam dois cenários muito importantes. A primeira está relacionada a porcentagem de uso do IPv6 no Brasil e a segunda a quantidade restante de endereços IPv4 ainda disponíveis.

É preciso considerar uma adoção acelerada do IPv6 em um ritmo ainda maior a quantidade restante de IPv4.

Porcentagem de utilização de endereços IPv6 no Brasil
Fonte: http://ipv6.br/
Quantidade restante de endereços IPv4
Fonte: http://ipv6.br/

A adoção ao novo protocolo, segundo o Google

O Google analisa a disponibilidade do novo protocolo entre seus usuários e assim temos uma noção de crescimento do uso do IPv6 em relação ao acesso aos serviços do Google.

Estatística de uso do IPv6 em relação ao acesso aos serviços Google
Fonte https://www.google.com/intl/pt-BR/ipv6/statistics.html#tab=ipv6-adoption&tab=ipv6-adoption

 Meu site já suporta o IPv6?

O número de sites que suportam a sexta versão ainda é tímido. Algumas soluções de hospedagem de sites já estão se preparando para o suporte ou já concluíram essa fase e coloram a disposição dos seus clientes o suporte completo ao IPv6.

O Centro de Estudos e Pesquisas em Tecnologia de Redes e Operações disponibiliza o Validador IPv6 para analisar e informar sobre o suporte a nova versão do protocolo a um endereço web.

Conclusão

O iminente esgotamento dos endereços IPv4 se faz necessário uma adoção completa e considerável ao IPv6 por parte da indústria de equipamentos diversos, desenvolvedores de softwares, sites, provedores de acessos e dispositivos variados para que tenhamos uma conexão de melhor qualidade, além de mais rápida e segura.

O IoT vem evoluindo e exigindo uma adoção mais rápida do IPv6, caso contrário, não será possível termos todas as coisas conectadas como se tem mostrado o caminho o qual estamos seguindo.

  • josuesantos93

    Amigo, So uma correção. IPSec tem suporte nativo em IPV6, Porém não obrigatorio.